terça-feira, 27 de julho de 2010

O farizeu e o publicano



Lucas 18.9-14

9 E disse também esta parábola a uns que confiavam em si mesmos, crendo que eram justos, e desprezavam os outros:

10 Dois homens subiram ao templo, a orar; um, fariseu, e o outro, publicano.

11 O fariseu, estando em pé, orava consigo desta maneira: Ó Deus, graças te dou, porque não sou como os demais homens, roubadores, injustos e adúlteros; nem ainda como este publicano.

12 Jejuo duas vezes na semana e dou os dízimos de tudo quanto possuo.

13 O publicano, porém, estando em pé, de longe, nem ainda queria levantar os olhos ao céu, mas batia no peito, dizendo: Ó Deus, tem misericórdia de mim, pecador!

14 Digo-vos que este desceu justificado para sua casa, e não aquele; porque qualquer que a si mesmo se exalta será humilhado, e qualquer que a si mesmo se humilha será exaltado.


O fariseu se auto destaca aqui como uma pessoa correta, infalível aos olhos do pai (assim ele se diz ser), com todo direito de julgar as pessoas...

O publicano uma pessoa humilde e que se coloca como pecador, como pessoa falha, e que precisa de Deus.

Na palavra diz que com a mesma medida que medirmos, assim seremos medidos, não temos o direito de julgar ninguém e muito menos se achar mais que os outros.

Na palavra também diz que Deus resiste ao soberbo, mas não resiste a um coração quebrantado, humilde, assim como o coração do publicano. Ele podia ter se defendido, ter dito umas poucas e boas para o fariseu, mas se calou diante dele e se colou na condição de pecador para o SEnhor, e Deus o exaltou.

sexta-feira, 23 de julho de 2010

Nove regras para um casamento feliz




Recebi esse email hoje da pastora Diná, vou postar aqui porque gostei muito!


Pr. Silmar Coelho lista comportamentos para se viver a dois


A revista Uma publicou um artigo do doutor Silmar Coelho nesta edição de janeiro. O texto "9 Regras Para Um Casamento Feliz", como o próprio título sugere, dá dicas de como manter um matrimônio saudável, sobrevivendo às crises e o tempo. Com uma linguagem simples, o autor mostra que não é impossível alcançar o tão sonhado "felizes para sempre".


Aprenda com um especialista em relacionamentos como sobreviver ás crises no casamento, e alcançar o tão sonhado "Felizes para sempre"!


O cotidiano agitado das pessoas, aliado á grande facilidade de obter o divórcio (segundo dados de uma pesquisa, a cada quatro casamentos, ao menos um acaba em divórcio), tem diminuído a duração das uniões matrimoniais. Hoje, o tempo médio de duração dos casamentos brasileiros é de apenas cinco anos, três vezes menor do que era há dez anos. Para se ter uma casamento pleno, as crises são necessárias, já que são elas que vão servir como termômetro para o casal medir a quantas anda o relacionamento. Um relacionamento que dá certo é um edifício que tem que ser construído todos os dias. A seguir, acompanhe os nove passos para você ter um casamento feliz!

1- Nunca se endivide. Tudo o que é barato, por mais barato que seja, se você não precisa, é caro!

2- Não deixe acabar o diálogo no namoro, o casal conversa por horas no portão
ou pelo telefone. Recupere este hábito sempre, e nunca responda com monossílabos como "Sim", "Não", "É", "Tô", "Vou"etc.

3- Não deixe acabar o romantismo. Não basta acender a fogueira, tem de colocar
lenha para o fogo continuar a arder!

4- Não se esqueça de datas especiais, e não se canse de dizer Ëu te Amo".

5- Tenha uma vida sexual ativa.

6- Deixe claro que família está sempre em primeiro lugar na sua vida.

7- Aprenda a perdoar. Não exija a perfeição - Que você não tem - no parceiro.

8- Não trabalhe demais. Tire, pelo menos, um dia de folga por semana. Faça "Breaks"a cada
três meses. Lembre-se de que o diabo não tira férias, mas vive no inferno.

9- Cultive a espiritualidade!

quinta-feira, 22 de julho de 2010

Pedras...

O que posso aprender com as pedras...
No nosso caminho, tropeçamos nelas
Se são lançadas a nós e não tivermos atenção, elas caem em nossas cabeças
Se estão num lugar estratégico, se tornam grandes esculturas
Se estão na natureza são apreciáveis e lindas

Enfim, existem várias formas, vários tipos...mas tem um tipo em especial que tenho aprendido a gostar, as tenho recebido muito, mas chego a conclusão que não vale a pena se importar.

Para um dia sermos grandes, primeiro temos que ser o menor, não dá para pular essa etapa.
Por isso, mandem as pedras, de qualquer forma, de qualquer peso... arremessadas a mim, as agarro, não quero deixar escapar uma...e como diz aquela frase inteligente que uns dizem ser de Fernando Pessoa e outros dizem ser de um tal nemo...

"Pedras no caminho? Guardo Todas. Um dia construirei o Meu Castelo!"?

domingo, 18 de julho de 2010

Pontes ou muros?




O que você tem costruido em sua vida? Pontes ou muros?

Quando me recordo de ponte, vem na minha cabeça a Ponte Presidente Costa e Silva, popularmente conhecida como Ponte Rio-Niterói, localiza-se na baía de Guanabara, estado do Rio de Janeiro, no Brasil, e liga o município do Rio de Janeiro ao município de Niterói. A finalidade dessa ponte, foi ligar os dois municípios, que são centros urbanos vizinhos, mas no entanto a Baía os separava, ou então poderiam fazer isso com mais 100km, por meio de uma viagem terrestre...enfim, a ponte uniu, e isso criou postos de trabalhos dentre outras inúmeras vantagens.

Quando penso em muro, a primeira imagem é a do muro de berlim.
Esse muro foi uma barreira física construída pela República Democrática Alemã (Alemanha Oriental) durante a Guerra Fria, que circundava toda a Berlim Ocidental, separando-a da Alemanha Oriental, incluindo Berlim Oriental. Este muro, além de dividir a cidade de Berlim ao meio, simbolizava a divisão do mundo em dois blocos ou partes: República Federal da Alemanha (RFA), que era constituído pelos países capitalistas encabeçados pelos Estados Unidos; e República Democrática Alemã (RDA), constituído pelos países socialistas simpatizantes do regime soviético. Dele faziam parte 66,5 km de gradeamento metálico, 302 torres de observação, 127 redes metálicas electrificadas com alarme e 255 pistas de corrida para ferozes cães de guarda. Este muro provocou a morte a 80 pessoas identificadas, 112 ficaram feridas e milhares aprisionadas nas diversas tentativas de o atravessar. Não dá nem para imaginar uma coisa dessas.

Logo, se penso em ponte, penso no que ligamos, unimos, e quando penso em muros, penso em tudo que divide, que impede o acesso.

Nas nossas vidas, será que estamos contruindo pontes ou muros? Será que temos feito pontes para as pessoas se chegarem a nós, ou nós nos chegarmos as pessoas? Será que fazemos isso em nossos trabalhos, em nossa igreja, até mesmo dentro de nossa família?
Eu sinceramente, não vejo minha vida sem as pontes, porque sou uma pessoas que gosto de me relacionar. Claro que com uns temos afinidades, com outros nos relacionamos com amor, mas não são íntimos. Mas procuro criar vínculos, e não ficar estreitando relacionamentos, até porque detesto me restringir a uma amizade somente, gosto de ter muitos amigos, graças a Deus por isso. Mas confesso que já fui uma pessoa de muros. Na minha adoslecência ficava escolhendo muito com quem andar, só que fazia essas escolhas de uma maneira por vezes cruel, deixava claro que queria aquelas pessoas, e simplesmente não queria que ninguém se aproximasse das minhas melhores amigas, tinha ciúmes, era egoísta, enfim...ainda bem que a gente cresce né!

Mas com o passar do tempo vi que era complicado essa situação! Até porque se eu construou muros para algumas pessoas, automaticamente algumas pessoas também irão construílos para eu também não chegar ali...foi então que resolvi que nada melhor que criar sempre pontes, estar sempre se relacionando é muito bom! Amo isso até hoje.

Hoje isso me ajuda muito no evangelismo, porque se criamos pontes com as pessoas, criamos vínculos de amizade, podemos levar de forma mais eficaz a palavra de Deus a ela. E isso tem um resultado ótimo, porque se conquistamos a confiança das pessoas, elas automaticamente param para nos ouvir, querem provar daquilo que provamos diariamente, e principalmnete se elas veêm esse resultado em nossas vidas.

Não vale a pena nos fecharmos como ostras, se esquecendo que tem um mundo lá fora sedento da palavra, debilitado dentro de suas carências, problemas diários...as vezes essas pessoas estão precisando que seja construída uma ponte, que chegue nos corações dela. Não dá para ficar estreitando relacionamento, criar uma panelinha e se esquecer dos perdidos. Seja uma boa influência na vida delas, nunca um influenciado.

Tem uma passagem da bíblia que eu gosto muito, dita pelo apóstolo Paulo, e se calhar, por gostar tanto dela, já a tenha postado aqui alguma vez, mas nunca é demais, já que estamos falando de pontes e muros...

"Anunciar o Evangelho não é título de glória para mim; pelo contrário, é uma necessidade que me foi imposta. Ai de mim, se eu não anunciar o Evangelho! Se eu o anunciasse de própria iniciativa, teria direito a um salário; no entanto, já que o faço por obrigação, desempenho um cargo que me foi confiado. Qual é então o meu salário? É que, pregando o Evangelho, prego-o gratuitamente, sem usar dos direitos que a pregação do Evangelho me confere. Embora eu seja livre em relação a todos, tornei-me o servo de todos, a fim de ganhar o maior número possível. Com os judeus, comportei-me como judeu, a fim de ganhar os judeus; com os que estão sujeitos à Lei, comportei-me como se estivesse sujeito à Lei - embora eu não esteja sujeito à Lei -, a fim de ganhar aqueles que estão sujeitos à Lei. Com aqueles que vivem sem a Lei, comportei-me como se vivesse sem a Lei, - embora eu não viva sem a lei de Deus, pois estou sob a lei de Cristo -, para ganhar aqueles que vivem sem a Lei. Com os fracos, tornei-me fraco, a fim de ganhar os fracos. Tornei-me tudo para todos, a fim de salvar alguns a qualquer custo. Faço tudo isto por causa do Evangelho, para me tornar participante dele."

1 Cor 9, 16-23

O que queria ele dizer com este “tornei-me tudo para todos a fim de salvar alguns” – como posso viver esta atitude de entrega ao outro para o salvar, para que descubra a vida que Deus tem para ele? Esta atitude tem a ver com procurar empatia com o que o outro vive, com o que sente, com aquilo que é. Tem a ver com a criação de vínculos, de ligações com aqueles que queremos salvar, que podemos salvar, que se encontram conosco, que o Senhor põe na nossa vida ou nos põe na vida deles. Não é você compactuar com seus erros e fraquesas, mas sim ajudá-lo a superar, mostrar o melhor caminho.

Então, vamos criar pontes?

quinta-feira, 8 de julho de 2010

Ninguém pode dar aquilo que não tem, ou receber aquilo que não sabe dar...




Isso é tão verdadeiro que chega a arrepiar os fiosinhos mais pesados da minha cabeça!

Se eu tenho amor, posso dar amor...Se eu dou amor, receberei amor!

É uma matemática muito lógica isso dentro da minha cabeça. Mas explicar isso a pessoas fechadas em seu mundo, em seu ego, é difícil. Jamais poderemos dar aquilo que não temos, aquilo que não sabemos receber nem dar.

Tem dias que fazemos tentativas frustante em cima das pessoas. Estou longe de ser uma psicóloga, ou boa entendedora de pessoas, busco ouví-las, ajudá-las, mas dizer que vou entender sempre, e afirmar que consigo as ajudar sempre, é uma mentira deslavada daquelas.

Não me preocupo em demonstrar ser quem eu não sou, pois sou o que sou, não tem jeito...se não sou perfeita, Deus me conserta, para isso dobro todos os dias meu joelho no chão..."me molda segundo Seu querer, segundo a Sua vontade..." Não fico muito preocupada com o que pensam de mim, para isso eu tenho somente Um, que me sonda e me conhece...basta esse Um para eu me deitar e descansar meu coração com a certeza que embora nem sempre eu consiga dar o meu melhor, sou suficiente humilde para admitir que preciso de um oleiro para me moldar, não para me colocar a cera, que vai disfarçar as imperfeições do vaso, mas Um oleiro que vai olhar, pegar e quebrar para fazer de novo. É assim que me sinto todos os dias.

Como podemos dizer "Eu te amo!" Se não sabemos dar e receber amor!?

Como podemos dizer "Conta comigo!" Se não sabemos contar com ninguém, e esse conta comigo tem uma tradução "Eu preciso contar com você!"

Como podemos dizer "Você está cheia de problemas, deixa eu te ajudar!" Se não consiguimos nos ajudar, não conseguimos receber ajuda dos outros.

Como podemos dizer "Vou orar por você!" Se as orações que estão destinadas a nós não surti nenhum efeito em nossas vidas, se não conseguimos pedir que um irmão nos faça o mesmo.

Como podemos dizer "Olha, você tem que agir assim ou assado!" Se não conseguimos executar os conselhos mais simples de pessoas que estão acima de nós!

Como se pode dar aquilo que não tem, como poder dar aquilo que não conseguimos viver, e como poder receber aquilo que não sabemos dar! Não será porque em nosso profundo e camuflado EGO, não somos humildes para dizer "Eu preciso!"?

Queremos que as pessoas nos ouça, mas nem conseguimos ouvi-las!
Queremos amigos, mas não sabemos ser amigos!
Queremos ser amados, mas não sabemos dar e receber esse amor, pois vivemos na frustação do amor visível aos olhos, aquele que se vive de vagas palavras, e não um amor de atitudes, de um amor que faz a diferença, que excede todo entendimento. Idealizamos e esperamos um tipo específico de amor...

Afirmamos "AS pessoas não sabem amar!" mas também podemos afirmar "as pessoas não sabem dar e receber esse amor!"

Porque na verdade é difícil dar e receber um amor que nem entendemos, queremos receber o amor que julgamos ser o certo, o amor constituído no EU. Eu falo e você escuta, EU afirmo e você concorda, EU caio você me levanta, EU choro e você me consola...e assim por diante, o amor constituído na primeira pessoa do singular.

Se precisamos tanto de pessoas a nossa volta, o primeiro passo mesmo é assumirmos "Precisamos das pessoas!", e não estarmos a procura delas afirmando sempre que elas precisam de nós. É sermos humildes para dizer que precisamos...porque as vezes estão pessoas ali do lado esperando uma atitude dessa. E se por vezes precisamos tanto, porque não sabemos pagar o mesmo preço? Porque não somos a mudança que desejamos ver nas pessoas?

Não vale a pena ser patinho feio a vida inteira, por isso antes, preciso saber receber aquilo que me dão, não da maneira que acho certa, mas da maneira que cada um sabe dar, e assim dar voluntariamente o que tenho recebido ou até mais que isso, de acordo com a necessidade de cada um, e não de acordo com aquilo que acho o correcto. E mesmo se no meu julgar eu nada tenho recebido, darei assim mesmo. Porque mais vale dar do que receber.

...Mas se tem um Deus que supre todas as nossas necessidades, porque depositar e esperar atitudes humanas? E uma coisa é certa, se Ele muito tem dado a prova, com certeza é porque precisamos ser aprovados!

domingo, 4 de julho de 2010

Porque acreditar em quem não acredita nas suas asas?



DE quem você se lembra mais? Das pessoas que te apoiaram ou daquelas que que não acreditaram em você?

Eu não sei qual será a sua resposta, mas a minha com toda certeza é:

Aquelas que não acreditaram em mim!

Claro que eu tenho gratidão e eterno carinho por aquelas que me apoiram, que acreditaram em mim, elas me ajudaram imenso! Mas tenho que ser sincera em dizer que as que não acreditaram em mim, me fizeram reagir mais, me ajudaram a crescer, me ajudaram a ver a situação em outro ponto de vista, o do quanto elas estavam erradas, rsrsrsrsrrsrsrs...

Já diz o pastor Júnior Santos: "NA vida existem dois tipos de pessoas, aquelas que acreditam em você e aquelas que estão erradas!"

Deus me deu um potencial, Ele foi o primeiro a me conceber isso, claro, mas quem dá o seguimento a isso sou eu, e não as pessoas que não acreditam em mim, que são secundárias, que não fazem parte dos planos da minha visão!

A tua visão não é aquilo que seus olhos físicos veêm, e sim aquilo que te faz enxergar além...porque teus olhos te deixam deprimidos, mas sua visão te encoraja. Quando um ser humano tem uma visão, ninguém pode pará-los!

Em 2 coríntios 5:7, Paulo diz a Silas:

"porque andamos por fé, e não por vista"

SE eu tenho um Deus que é Rei, simplesmente dono de todas as coisas, porque eu andar por aí acreditando nas pessoas? Ai Cristo! Misericórdia!

Uma vez uma "amiga" me disse "Seja, feliz..se puder!", a verdade é que hoje ela nem fala comigo, tentei por várias vezes reatar nosso relacionamento, mas em minha última tentativa, foi isso que ela me disse. Na hora eu fiquei...poxa, seja feliz se puder é algo muito forte, porque eu posso, sou, e serei sempre feliz!

E acreditem, eu me lembro dessa frase praticamente todos os dias da minha vida, porque eu não aceito não ser feliz! Eu rejeito qualquer possibilitade que possa aparecer para me trazer tristeza, abatimento...qualquer coisa que se assemelha a isso eu rejeito! POrque eu não nasci para isso, nasci sim, para ser mais que vencedora! Eu quero fazer valer a pena cada dia da minha vida, e tem dado certo!

Eu trago a memória tudo aquilo que me dá esperança, assim diz em lamentações 3:21, tudo aquilo que vai me fazer vencer, logo após me lembrar da pedra que me acertaram, ou da âncora que me amarraram nos pés e me jogaram ao mar, ahhhhhh, eu tiro a âncora no meio do caminho e retorno a superfície, e dessa vez tão depressa para pegar novamente o ar que pego até com mais vontade, mais força!

E em romanos 8:24 diz

"Porque, na esperança, fomos salvos. Ora, esperança que se vê não é esperança; pois o que alguém vê, como o espera?"

Então tenha esperança, e siga sua visão, que nunca pode ser limitada aquilo que você está vendo. Saiba que o maior dom que Deus deu ao homem não é o dom da vista, e sim o da visão, porque a vista é uma função dos olhos, mas a visão é uma função do coração.

Meu pai era um homem muito sábio, eu porém, fui uma filha muito rebelde, e eu era tão respondona, tão agressiva, tão irritada com tudo, que ele sempre dizia..."você vai ficar sozinha! Nunca vai se casar! Ninguém te atura! Não vai sobrar nenhum amigo para te ouvir!" Eu sei que ele não falava por mau, ele queria que eu mudasse, é verdade...mas todas as vezes que eu ouvia aquilo, eu dizia para mim mesma "hahahahahah, isso é uma grande mentira, eu vou me casar, e a cada dia que passar, vou fazer sempre novos amigos!"

Bom, eu me casei, com um homem que atravessou o aceâno atlântico para me pedir em casamento, que me ama muitooooooooooooo...tenho amigos, e muitos, e os faço e procuro fazer todos os dias, os ajudo, são pessoas que somam e que me ajudam, é só eu gritar...nunca me prendi e me restringir a uma só amizade, faço questão de ter muitos, e amá-los na mesma intensidade. Nunca acreditei que terminaria meus dias sozinha! Tenho duas filhas lindas, marido lindo, amigos lindos...e mais ainda que isso, um Deus vivo que me proporcionou todas essas coisas!

Quero voar a cada dia mais alto, tendo sempre em mente que tenho que sonhar os sonhos de Deus, quero viver a história da minha vida que Deus começou e terminou, antes mesmo de eu nascer! E ninguém irá cortar as minhas asas, pode ter a certeza!